Placa da Berrini com o novo padrãoCórrego sob a Berrini

Paralela à Marginal Pinheiros, construída sobre um pântano, o antigo dreno do Brooklin. Em menos de uma década a Avenida Berrini transforma a região em um grande centro empresarial.

Um bom lugar!

O mais novo cartão postal de São Paulo, a tal Ponte Estaiada, erguido no final da Berrini e nas proximidades da nova sede da Tv Globo, reforça a ideia da região como símbolo do progresso paulistano.

Adeus, favelas. As pessoas entendem, São Paulo precisa de centros financeiros consolidados.  Avenida Água Espraiada vira Avenida Roberto Marinho. E nem uma viela com o nome de Sabotage, o maestro da favela do Canão.

A ponte símbolo do progressoA escalada continua

Thousand of offices

Uma disputa entre a Avenida Paulista e Berrini pelo título de top de São Paulo? Bullshit!

Desde o início de sua escalada, a Berrini é corporativa, respira trabalho.  Difícil encontrar ali um centro cultural, uma balada alternativa, teatros.

Até artistas de rua, tão comum em outros pontos movimentados da cidade, não se vê por aqui.

Fora da caixa

Executivos, funcionários, profissionais liberais. É possível furar a rotina. Estratégias de marketing, linguagem de programação,  arquitetura da informação e manobras financeiras podem ser aplicadas também além dos escritórios, nas ruas da fria Berrini.

Galeria fria dos officesJardineiro, música no fone de ouvido, manhã
Publicado originalmente em 17 de abril de 2010