DOCTV 2013 – Uma esperança

Encontro Cultura & Mercado (Kinoforum), pauta: DOCTV. Na banca estão nada menos que Renato Nery, coordenador do programa, Jaime Lerner, Presidente da Associação Brasileira de Documentaristas, Pola Ribeiro, da TVE Brasil e ABPEC e a Secretária do Audiovisual (MinC), Ana Paula Santana.

Os três primeiros começam o discurso enaltecendo o DOCTV e lamentando a interrupção do programa.  Jaime Lerner chega a dizer que a lei 12.485 (que prevê cotas para a produção nacional na TV paga) não garante a que a visão autoral, independente e de qualidade chegue à TV, missão que o DOCTV mostrou ser capaz.

Causando certo desconforto, a Secretária do Audiovisual, Ana Paula Santana, começa seu discurso reconhecendo a importância do programa para então listar seus pontos fracos: os direitos sobre a obra não privilegiam o autor, falta sustentabilidade financeira ao programa, os horários de exibição não favorecem o grande público.

A plateia e a banca rebatem as críticas e argumentam que a interrupção não é necessária para ajustar falhas do programa, sendo inclusive um risco para sua continuidade.

O debate termina com um sinal positivo: Ana explica que a SAv não é a única responsável pelo DOCTV e convida os representantes da ABD, ABPEC e o coordenador do programa Renato Ortiz para uma reunião “daqui a um mês” com o objetivo de definir o convênio de uma edição do DOCTV ainda em 2013.

O que é o DOCTV

Como o realizador independente vê sua a localidade, ou seja, as pessoas do seu bairro, a vida na sua cidade? Colocar na programação da TV brasileira a visão autoral de produtores independentes foi o objetivo alcançado pelo DocTV. De 2004 a 2010, o DocTV coproduziu mais de 200 documentários para serem veiculados através da rede de TV’s públicas do Brasil. O Projeto teve edições com a comunidade de países da Língua portuguesa (DOCTV CPLP) e países da América Latina.

Interatividade na TV Digital

Em abril deste ano, postei um resumo explicando como assitir programas da TV aberta em alta definição. Demonstrei também que já é possível interagir com as emissoras pelo controle remoto da TV LCD que você comprou.

Volto agora ao tema Tv Digital para abordar um pouco mais o ponto fraco da TV Digital aberta: a interatividade e as promessas de inclusão digital pela TV.

TV Digital aberta com Ginga

  • No Sistema Brasileiro de TV Digital, a interatividade é possível através do sistema Ginga.
  • As emissoras enviam suas aplicações interativas diretamente para a casa do usuário. Estas informações ficam armazenadas temporariamente no televisor. Para isto, a recepção deve ser realizada com uma antena UHF.
  • O usuário é avisado quando há possibilidade de interação através de ícones que as emissoras exibem na tela. O usuário interage então pressionando teclas do controle remoto.
  • As aplicações mais comuns hoje funcionam de forma semelhante ao menu de extras de um DVD: o usuário acessa informações adicionais de um programa (ex.: elenco de uma novela ou tabela de um campeonato). Nestes casos, as informações acessadas estão armazenadas no televisor.
  • Interações mais complexas necessitam que o usuário vá além das informações armazenadas no televisor. TVs conectadas à internet permitem que o usuário acesse bancos de dados maiores.
  • Em uma Tv com Ginga conectada à internet, ao invés de apenas acessar as informações que a emissora enviou para o seu televisor, o usuário pode solicitar novas aplicações e enviar informações (ex.: dados cadastrais, senhas de banco, respostas à questionários, etc).
  • Aplicações assim, com canal de retorno, ainda são minoria no Ginga e na maior parte não passam de enquetes. Porém, especialistas reconhecem seu potencial para inclusão digital.
  • No Brasil, pessoas das classes D e E raramente possuem acesso a um computador. Por outro lado, a TV está presente em quase 100% dos lares. Aplicações do Governo (agendamento de consultas pelo SUS, consulta a extratos da Previdência) ou educacionais são possíveis em qualquer TV de tubo acoplada a um conversor com Ginga (que custa em torno de R$ 250,00).
  • O ponto delicado seria o canal de retorno: como conectar esta TV à Internet? Com o Programa Nacional de Banda Larga em impantação, este pode não ser mais um grande obstáculo.

Exemplo de interação com Ginga

  • Fotografias da tela do televisor durante exibição dos Jogos Panamericanos de Guadalajara, na Record:

  • A aplicação permite exibir quadro de medalhas, notícias e agenda de jogos e eventos, entre outras informações, mas sem canal de retorno.
  • O usuário só visualiza aquilo que foi enviado pela emissora e ficou armazenado temporariamente no televisor.

——————…——…———-…————————

O Ginga já foi adotado por vários páises na América Latina e África, mas no Brasil, onde ele nasceu, emissoras e fabricantes ainda não estão avançando em um modelo de negócios. Neste cenário, outras tecnologias de interatividade pela Televisão avançam, veja os próximos tópicos.

TV a cabo ou via satélite interativa

  • Há algum tempo já é possível interagir com a TV. Quem assina TV a cabo já deve ter acessado guia de programação, trocado legendas e áudio de um programa ou adquirido filmes, espetáculos e partidas de esporte pelo sistema Pay-per-View. Tudo pelo controle remoto.
  • Este tipo de interatividade só é possível por que a TV está conectada à operadora de TV a Cabo. A teclas que você pressiona no controle viram comandos enviados para a operadora, que responde de volta enviando aquilo que você solicitou.
  • Replay e pause da programação também são vendidos como recursos interativos.

TV’s conectadas

  • As Tv’s conectadas estão revolucionando o mercado como um dia fizeram os celulares ao se tornarem Smartphones.
  • As smart TV’s são televisores com aplicativos interativos, como jogos, Facebook, Twitter e Youtube. Você pode acessar conteúdos da internet direto na tela da TV.
  • Os aplicativos se multiplicam: além de redes sociais, já estão disponíveis previsão do tempo, chamadas pelo Skype, compra de programas e filmes on demand (como o NetFlix e o Terra Video Store), etc…
  • Como exemplos, temos a Samsung com a função Smart Hub e a Panasonic com o Viera Conect.

Apple TV

  • É um dispositivo pequeno que o usuário acopla a um aparelho de TV.
  • Ele pode ser integrado ao iPhone (que funciona como um controle remoto da Apple TV) e iPad (para exibir na TV o que se vê na tela do iPad).
  • O Apple TV também reproduz os arquivos salvos no iCloud e possui aplicativos semelhantes aos das TV’s conectadas.

IPTV – TV pela internet

  • As TVs podem transmitir conteúdos relacionados à sua programação pela internet.
  • A TV cultura por exemplo possui o portal Cmais, onde os usuários assistem a programas ao vivo e podem interagir em salas de bate papo monitoradas pela emissora. Assuntos do bate-papo eventualmente entram no programa exibido no ar. Os usuário também pode compartilhar o programa no mural do Facebook ou pelo Twitter.

Onde estão as coisas que você postava na rede até 2005?

Ontem um amigo meu falou sobre os planos de começar a blogar suas criações, suas atividades para criar portfólio e caderno de inspirações. Foi aí que lembrei de tanta coisa bacana digital que fiz sem dar importância para manter o registro.

Lembrei de umas páginas que o Plexo tinha no HPG, o serviço de hospedagem gratuito do IG. Artigos que postávamos sobre as coisas da primeira década do séc. XXI. Algumas previsões e uns gif animados com fotos de celular. Era por volta de 2004…

Pesquisei na internet e vasculhei meus scraps antigos do Orkut (abri a conta lá em fev. de 2005) mas não encontrei sequer o link da página hpg.ig.com.br

Não sei como, mas limpou-se a caixa de entrada do meu Hotmail (mais antigo que o Orkut) quando redirecionei os emails de lá para minha caixa do Gmail, agora em 2011.

Por fim, encontrei no Gmail a seguinte resposta a uma mensagem que enviei ao submusica.com, em 2007:

Obs.: Apaguei a informação do IP e a resposta do Dudu P, responsável pelo site.

A tal URL www.plexo.hpg.com.br redireciona à página de erro do IG… o site foi excluído.

Acabei encontrando nesta matéria do youpix a ferramenta waybackmachine do site archive.org, mas lá também não há registros do Plexo no HPG. Aproveitei para pesquisar sobre a URL hpg.ig.com.br e revi a home do portal, onde eu fazia o login para subir as páginas (via FTP).

Será que meus posts em Redes Sociais serão perdidos? Meus email antigos, com textos e brainstorms de projetos estão seguros para sempre?

Neste momento, estou pensando nas fotos que postamos na primeira conta do Plexo em uma rede social:

fotolog.com/plexo

A foto abaixo foi postada em 03/03/05.

Como aproveitar a TV digital

O sinal da TV digital está avançando pelo Brasil. Em 2016, as transmissões do sinal analógico serão interrompidas. Saiba com este resumo o que você precisa para aproveitar melhor, hoje, a programação da TV digital.Link
Canais abertos já são digitais

  • Cultura, SBT, Globo, Record, RedeTV, Gazeta, Band, MTV e outros canais abertos já transmitem o sinal digital.
  • A ANATEL promete divulgar em seu site a partir deste mês um relatório sobre a cobertura do sinal digital em cada Estado.
  • Consulte as emissoras para saber se elas transmitem o sinal digital para sua cidade.

Os aparelhos de TV precisam de conversores para exibir programação da TV digital

  • A maioria das TVs plasma e LCD comercializadas já vem com o conversor embutido.
  • As tvs antigas e sem o conversor embutido devem ser acopladas a um set-top-box, um conversor externo, parecido com aqueles de TV a cabo.
  • Este conversor decodifica o sinal transmitido por ar. Operadoras de TV a cabo e via satélite também vendem pacotes com canais digitais HD e oferecem o conversor para decodificar o sinal.

TV digital aberta é gratuita e sintonizada com antenas UHF

  • Se sua cidade possui sinal de TV digital e você já possui uma TV com conversor, agora você só precisa de uma antena UHF para receber o sinal digital dos canais da TV aberta.
  • A TV busca os canais e os sintoniza automaticamente.
  • Operadoras de TV a cabo (NET) ou satélite (SKY) também vendem pacotes de TV digital que incluem outras opções além dos canais abertos, como HBO HD e Telecine HD.
  • Você também pode receber gratuitamente a programação dos canais abertos de TV digital em aparelhos móveis compatíveis como celulares, notebooks e mini-receptores para automóveis.

Sobre a alta definição e formato de tela

  • A alta definição (HD – High Definition) da TV digital (720p, resolução HDTV) é maior que nos DVD’s (480p), mas é menor que no Blue Ray (1080p, resolução Full HD).
  • Nem todos os programas transmitidos por uma TV Digital estão em alta definição HDTV. A maior parte da programação digital ainda é transmitida com a mesma resolução que a TV analógica.
  • Uma TV de tubo com um conversor sintoniza canais digitais, mas TVs de tubo não suportam alta definição e exibem a programação em no máximo 480p (resolução de DVD).
  • Você poderá estranhar o formato da tela em alguns programas transmitidos por um canal digital. Veja aqui quando e por que as faixas pretas são exibidas dos lados ou no topo e na base da sua TV.

Sobre a interatividade

  • Esta é a última fronteira a ser desbravada pela TV Digital. As emissoras e os telespectadores ainda não sabem como lidar com a “interatividade” possibilitada pela Tv Digital
  • A maior parte das aplicações interativas transmitidas com os programas funcionam como “extras” de DVD, ou seja, o usuário não interage de fato com a programação, ele apenas acessa informações adicionais (durante um jogo do Brasileirão, por exemplo, a Globo exibe a Tabela do Campeonato).
  • As interatividades mais complexas exigem um canal de retorno, por onde o usuário envia seus comandos para a emissora. Este canal geralmente é a conexão da TV ou conversor à internet. Mesmo assim, o máximo que conseguimos aqui foi permitir que o usuário responda a enquetes. Estamos engatinhando.

Interatividade com Ginga

  • As TVs a cabo e via satélite inauguraram a interatividade via controle remoto. Já há algum tempo é possível comprar programas pay-per-view e acessar guia de programação pela TV.
  • No Brasil, este tipo de interatividade em canais abertos e recebidos por uma antena UHF só é possível com conversores que trazem o Ginga, sistema responsável pela decodificação das aplicações interativas enviadas pelas emissoras de programação digital.
  • A seguir algumas fotos de aplicações interativas transmitidas por canais abertos:

(Testes realizados em uma Panasonic Viera TC-L37D20B com conversor embutido com Ginga e recepção via antena UHF)

Portal Interativo SBT, exibido durante “A Praça é Nossa”


———————————————-

Passo-a-passo da aplicação interativa da novela das seis “Cordel Encantado”

  • Ao sintonizar o canal, quando há aplicação interativa disponível, primeiro ela é carregada pelo conversor com Ginga:

  • Depois de carregar, um ícone “i” é exibido para indicar ao telespectador que a aplicação está disponível para “ser interagida”:

  • O telespectador então aperta o botão do controle remoto que corresponde a “carregar interação”. Este botão varia de acordo com o modelo da TV ou conversor.
  • A aplicação invade a tela sem interromper o programa, que continua rolando enquanto o usuário acessa informações como sinopses de capítulos anteriores e perfis dos personagens da trama.
  • Se a TV estiver conectada à internet, é possível responder a enquetes relacionadas à novela.

Plexo trabalha com Clã

Rap Ambiental – Clã Raça Forte – AlbumSP from Plexo Lab on Vimeo.

A Plexo está trabalhando nos vídeos do grupo de Rap de São Paulo “Clã Raça Forte”.

Um release multimídia em DVD
A mensagem da banda é simples, consistente e inteligível para o público das favelas e dos eventos marginais: desenvolvimento pessoal e social e diversão consciente.

Os videos seguem essa linha.

Inspiration


this is the book inspiration for interior design fair IMM that happens in Germany you can extract good things > #Funny, #Circus, #colorfullhttp://htxt.it/5Dox

New!


Just a poncho made by blanket that this german girl got from the airplane,,,i made this in 4 hours in the Porto Seguro Airport, but i can make the same with other similar fabric.. this pic is from São Paulo and you can have other views and order also at http://htxt.it/231P

Roots design


Roots design…made by hands in the middle of Atlantic forest.I met Lucile in Rainbow Meeting in Itacaré Bahia-BR and when she Knew that i’m designer she asked me to make something with her fabric that she brought from India. For me it was Amazing! i prefer don’t say how much she paid me but i really like this Top and Skirt.if want something contact me ismaeltrabuco@gmail.com and tell me what’s your Idea

my bet in trends for 2010 seasons


I bet the “imperfect” or natural as key trends in looks to the seasons in 2010.

Not dirty or ugly. Only simple and natural. Without extreme design; poetic crafts details. When luxury is necessary, fine fabrics. And of course, the trend is on the mass market.

Stay tuned in to light looks and have no intention of being the best.

bit.ly / msnbcmoda http://htxt.it/GOSV

1 2 3