Interatividade na TV Digital

Em abril deste ano, postei um resumo explicando como assitir programas da TV aberta em alta definição. Demonstrei também que já é possível interagir com as emissoras pelo controle remoto da TV LCD que você comprou.

Volto agora ao tema Tv Digital para abordar um pouco mais o ponto fraco da TV Digital aberta: a interatividade e as promessas de inclusão digital pela TV.

TV Digital aberta com Ginga

  • No Sistema Brasileiro de TV Digital, a interatividade é possível através do sistema Ginga.
  • As emissoras enviam suas aplicações interativas diretamente para a casa do usuário. Estas informações ficam armazenadas temporariamente no televisor. Para isto, a recepção deve ser realizada com uma antena UHF.
  • O usuário é avisado quando há possibilidade de interação através de ícones que as emissoras exibem na tela. O usuário interage então pressionando teclas do controle remoto.
  • As aplicações mais comuns hoje funcionam de forma semelhante ao menu de extras de um DVD: o usuário acessa informações adicionais de um programa (ex.: elenco de uma novela ou tabela de um campeonato). Nestes casos, as informações acessadas estão armazenadas no televisor.
  • Interações mais complexas necessitam que o usuário vá além das informações armazenadas no televisor. TVs conectadas à internet permitem que o usuário acesse bancos de dados maiores.
  • Em uma Tv com Ginga conectada à internet, ao invés de apenas acessar as informações que a emissora enviou para o seu televisor, o usuário pode solicitar novas aplicações e enviar informações (ex.: dados cadastrais, senhas de banco, respostas à questionários, etc).
  • Aplicações assim, com canal de retorno, ainda são minoria no Ginga e na maior parte não passam de enquetes. Porém, especialistas reconhecem seu potencial para inclusão digital.
  • No Brasil, pessoas das classes D e E raramente possuem acesso a um computador. Por outro lado, a TV está presente em quase 100% dos lares. Aplicações do Governo (agendamento de consultas pelo SUS, consulta a extratos da Previdência) ou educacionais são possíveis em qualquer TV de tubo acoplada a um conversor com Ginga (que custa em torno de R$ 250,00).
  • O ponto delicado seria o canal de retorno: como conectar esta TV à Internet? Com o Programa Nacional de Banda Larga em impantação, este pode não ser mais um grande obstáculo.

Exemplo de interação com Ginga

  • Fotografias da tela do televisor durante exibição dos Jogos Panamericanos de Guadalajara, na Record:

  • A aplicação permite exibir quadro de medalhas, notícias e agenda de jogos e eventos, entre outras informações, mas sem canal de retorno.
  • O usuário só visualiza aquilo que foi enviado pela emissora e ficou armazenado temporariamente no televisor.

——————…——…———-…————————

O Ginga já foi adotado por vários páises na América Latina e África, mas no Brasil, onde ele nasceu, emissoras e fabricantes ainda não estão avançando em um modelo de negócios. Neste cenário, outras tecnologias de interatividade pela Televisão avançam, veja os próximos tópicos.

TV a cabo ou via satélite interativa

  • Há algum tempo já é possível interagir com a TV. Quem assina TV a cabo já deve ter acessado guia de programação, trocado legendas e áudio de um programa ou adquirido filmes, espetáculos e partidas de esporte pelo sistema Pay-per-View. Tudo pelo controle remoto.
  • Este tipo de interatividade só é possível por que a TV está conectada à operadora de TV a Cabo. A teclas que você pressiona no controle viram comandos enviados para a operadora, que responde de volta enviando aquilo que você solicitou.
  • Replay e pause da programação também são vendidos como recursos interativos.

TV’s conectadas

  • As Tv’s conectadas estão revolucionando o mercado como um dia fizeram os celulares ao se tornarem Smartphones.
  • As smart TV’s são televisores com aplicativos interativos, como jogos, Facebook, Twitter e Youtube. Você pode acessar conteúdos da internet direto na tela da TV.
  • Os aplicativos se multiplicam: além de redes sociais, já estão disponíveis previsão do tempo, chamadas pelo Skype, compra de programas e filmes on demand (como o NetFlix e o Terra Video Store), etc…
  • Como exemplos, temos a Samsung com a função Smart Hub e a Panasonic com o Viera Conect.

Apple TV

  • É um dispositivo pequeno que o usuário acopla a um aparelho de TV.
  • Ele pode ser integrado ao iPhone (que funciona como um controle remoto da Apple TV) e iPad (para exibir na TV o que se vê na tela do iPad).
  • O Apple TV também reproduz os arquivos salvos no iCloud e possui aplicativos semelhantes aos das TV’s conectadas.

IPTV – TV pela internet

  • As TVs podem transmitir conteúdos relacionados à sua programação pela internet.
  • A TV cultura por exemplo possui o portal Cmais, onde os usuários assistem a programas ao vivo e podem interagir em salas de bate papo monitoradas pela emissora. Assuntos do bate-papo eventualmente entram no programa exibido no ar. Os usuário também pode compartilhar o programa no mural do Facebook ou pelo Twitter.