A Realidade Virtual (VR) está chegando com força

Hoje começa a chegar o Oculus Rift aos americanos que já o encomendaram e estão todos falando sobre Realidade Virtual, conhecida pela sigla VR. O assunto vem ganhando destaque da mídia especializada em tecnologia, como o portal WIRED e em feiras como a Game Developer Conference e o SXSW (South by Sowthwest) 2016, evento que reúne o que há de mais trendy no mundo da cultura digital.

Você já deve ter ouvido falar de VR e talvez até tenha experimentado em alguma exposição de arte eletrônica (a FILE, por exemplo). Trata-se de uma linguagem e um meio digital para apresentar obras audiovisuais. A VR é bem mais imersiva que o cinema 3D: para interagir (e não apenas “assistir”) com a VR você também coloca um óculos, mas é você que controla a câmera ao movimentar a cabeça e direcionar seu olhar. É como um videogame open world (mundo aberto): um universo criado pelos desenvolvedores fica disponível para ser explorado por cada “usuário”.

E é justamente a indústria dos games, mais do que a do cinema arrisco dizer, que vem dando força à VR.

Visitantes de stands na SXSW experimentam a Realidade Virtual (VR)

Gadgets começam a chegar aos consumidores

Para navegar em obras de Realidade Virtual, cada usuário deve utilizar um óculos para total imersão nos universos desenvolvidos pelos criadores. Imagine um filme de terror em que você mesmo, e não o personagem do filme, deve se locomover em um hospital abandonado e mal iluminado? Você está na sala de sua casa, mas totalmente imerso no ambiente através do óculos de VR.

Dois modelos são destaque no mercado atualmente:

Oculus Rift (Samsung)

  • Você precisa de um PC com windows para rodar jogos e filmes.
  • Um sensor, estilo o Kinect do Xbox, detecta seus movimentos e os transfere para o ambiente virtual.
  • Um joystic é usado para otimizar os controles.
  • Interessados já podem comprar o Oculus com previsão de entrega em Julho/2016.

 

Playstation VR

  • Para ser usado em conjunto com o Playstation 4.
  • As lâmpadas led embutidas no controle Dualshock e nos óculos funcionam como sensores de movimento e são captadas pela PlayStation Camera, que deve ser acoplada ao console.
  •  Lançamento previsto para Outubro de 2016.

DEEP – O universo VR cada vez mais pessoal

É bastante razoável se questionar se a Realidade Virtual é benéfica para a saúde física, mental, espiritual, metafísica, etc. A total imersão em um universo gerado por computador por muitas horas traz mais riscos que a exposição prolongada ao Netflix ou Game Box? Ver pornografia em VR é uma boa ideia?

Questões como esta ganham mais espaço à medida que a VR chega a mais lares. Ainda teremos muitos debates a respeito, mas já há pelo menos um exemplo de Realidade Virtual usada para o bem-estar.

Como muitos desenvolvedores/programadores, e tantos outros profissionais hoje em dia, o Game Designer Owen Harris  se viu lutando contra a depressão e a ansiedade.  Ele usou a meditação e técnicas de respiração para superar as crises e viver melhor.  Desta experiência, surgiu a ideia de criar DEEP, uma espécie de universo submarino para onde se pode escapar ao final do dia para relaxar.

DEEP é controlado pela respiração e possui áudio bem relaxante. É a prova de que o universo VR deve se tornar cada vez mais uma experiência pessoal, a serviço de muitos propósitos além do puro entretenimento.

 

 

Top Comunidades de moda e estilo: Uma revolução no vestir.



Depois de ter sido inspirado(a) pelos Street Style Blogs e ter feito aquela produção que tal receber um feedback sobre sua montagem e figurino de pessoas que se parecem com você que tem estilos semelhantes ao seu.

As comunidades de moda e estilo (Fashion/Style Communities) tem revolucionado a maneira como as pessoas se vestem e se inspiram e com isso o próprio Design, a produção e a comercialização de moda.

O design é afetado de diversas formas, cada vez mais o cliente final palpita na criação dos modelos, muitas vezes de maneira direta como acontece no site Threadless.

A produção de moda muda com o crescimento de comunidades que fiscalizam as leis trabalhistas como é o caso da rede “labour behind the label” e um de seus membros Fashioning an Ethical Industries(FEI) que promovem práticas para o melhoramento das condições trabalhistas em todo o mundo com diversas ações no plano real que integram marcas , empresas, designers e estudantes.

Há também o crescimento de comunidades que comercializam produção artesanal, confecção de designers independentes e peças de segunda mão como os blogs-brechós, etsy ou mercado livre

A comercialização vai no embalo do crescimento continuo do e-commerce, hoje no embalo dos clubes de compras como por exemplo o brandsclub, coqueluxo ou privalia.

Algumas comunidades agregam diversas dessas novas mudanças em uma só, como é o caso da SenseofFashion e StyleCaster, que além de permitir que os membros troquem comentários sobre looks enviados ainda permitem que eles comercializem suas criações, indicam marcas e produtos com base no tempo e clima locais de cada usuário e ainda enviam essa e outras informações para o telefone celular do membro da comunidade.

Agora para se inspirar e receber feedback sobre seu estilo, listo as comunidades onde basicamente se faz o upload de uma foto e se espera receber comentários.Para mim são as mais twittadas e comentadas na web.

byMk

A única brasileira da lista, é bem semelhante a Polyvore grande sucesso de comunidade de moda, “O byMK é uma rede social brasileira de Moda e Estilo, gratuita onde os usuários têm a oportunidade de viver a experiência de criar seus próprios looks com as peças que são colocadas no site pelos nossos parceiros ou que são capturadas da Internet pelos próprios usuários, podendo compartilhar opiniões, criar contatos e exercitar sua criatividade. Todas as imagens de itens e looks criados pelo usuário podem ser compartilhadas, possibilitando total interação” (descrição no site).

Lookbook.nu

É bem adolescente mas a galera dos vinte e poucos ou tantos ta marcando presença, o mais legal é que em cada upload vc tem a opção de editar sua foto online com um plugin no site do editor picnik.
Aqui street style não é tão forte mas para mim o conceito e o clima do estilo são mais favorecidos.

Chictopia.com

A chictopia é a mais focada nas roupas e envolvida com a indústria da moda. Aqui você pode navegar por cor e tipo das peças, local, estilo e genero de quem usa, entrar em discussões etc…

Fashionfreax.net

Semelhante ao chictopia porem bem mais Europeu. Voce tambem acompanha oque as pessoas que vc segue estão vestindo ou organizando em uma interface semelhante ao twitter.Também em português.

Streetstyle.com
Bem mais simples que os dois acima mas totalmente street, com uma pegada estados unidenses e latina.

Para os “fashion victms” o “Stylyzer” da covet.com. Essa ferramenta analisa seu estilo, te enquadra em uma categoria, mostra alguns famosos que se vestem como você e periodicamente te envia emails com peças do vestuário que tem a ver com o seu resultado mais alguns filtros que voce pode configurar como preço, cor e outras características. Já ouvi dizer que é o seu Personal Shopper virtual ou seja, te ajuda a fazer as melhores compras conforme seu gosto e preferencias.

Bjs e abs; se quiserem podem me procurar nas comunidades, estou sempre com o nick “plexo” ou ismael trabuco. vejo vcs por aí na rede ou na rua 😉

albumsp.com // as figuras paulistanas

Fragmentos audiovisuais de personagens paulistanos

Projeto AlbumSP


A equipe do projeto escolheu três moradores da cidade de São Paulo, registrou uma parte da vida delas, organizou álbuns com estes vídeos e os publicou em uma página na internet.

A ideia é renovar o conteúdo do site e realizar outras edições, sempre com três personagens reais, para tratar da vida na metrópole paulista através de diferentes pontos de vista. Um programa de TV on line.

Conheça a edição piloto com os seguintes personagens:

>>Betinho: Skatista de Higienópolis

>>Carol: Fotógrafa da Bela Vista

>>Clã Raça Forte: grupo de RAP do Jd S. Savério

Desenvolvi o projeto com colegas do curso de Rádio e TV da Universidade Anhembi Morumbi.
Todos os videos foram gravados em alta definição (HD 720×1080)  e hospedados no Vimeo.

Álbum SP > a voz da Praça da Sé

Quem conhece o cotidiano da Praça da Sé sabe que ali tem pessoas de todas as partes do mundo.

Álbum SP selecionou duas vozes brasileiras no mar de pessoas que  passa  pelo marco zero de São Paulo.

[vodpod id=Groupvideo.3423780&w=425&h=350&fv=clip_id%3D6584396%26server%3Dvimeo.com%26autoplay%3D0%26fullscreen%3D1%26md5%3D0%26show_portrait%3D0%26show_title%3D0%26show_byline%3D0%26context%3Duser%3A545135%26context_id%3D%26force_embed%3D0%26multimoog%3D%26color%3D00ADEF%26force_info%3Dundefined]

Masculinas, nordestinas e provenientes de vendedores de rua, três características bastante comuns nas vozes da Sé.

Album SP – Equipe perde material gravado na Penha.

A equipe do projeto Álbum SP convidou Camila Dayan, do blog D’propósito a um passeio por um bairro que ela nunca tinha visitado: a Penha, na zona leste.

Camila aceitou desafio de apresentar o bairro desconhecido como se fosse uma guia de turismo.

O video deste passeio bizarro pela Penha, que durou mais de três horas, foi comprometido e não poderá ser utilizado.

É o que suspeita Isaac Trabuco, que escreve este post.

A câmera utilizada pela equipe registra as imagens em arquivos digitais. Arquivos de video ficam em uma pasta, arquivos de áudio, em outra. Para a edição e até mesmo a execução correta do video, é necessário que se tenha as duas pastas em um mesmo diretório.

A suspeita de Isaac é a de que a equipe, da qual ele faz parte, tenha descarregado na ilha apenas a pasta Video. Ou seja, as imagens do passeio não teriam mais os sons da cidade nem a locução da Camila…